quarta-feira, 23 de março de 2011

Amor: Eros, Ágape e Philia

Vimos que filosofia é o amor à sabedoria. O que há de mais discutido no mundo do que o amor? Está presente nos romances, nas novelas, naquela paquera da escola, na história de vida dos seus pais, na religião, nas amizades e nas letrinhas das músicas bregas, que tocam todo dia nas rádios e nos mp3 e que fazem o maior sucesso nos corações bregas do país. Enfim, do amor ninguém escapa. Mas você já parou para analisar que tipo de amor você sente por quem lhe rodeia? Alias, existem tipos de amores? Se existem, quais são? Pois bem, vamos lá.
EROS
Esse nome vem emprestado do deus grego do amor. É o amor que se expõe como falta. O que me falta, busco em outro. É o desejo físico de possuir o outro e conseguir satisfação. É geralmente carregado de paixão. Paixão é uma palavra que deriva de um termo grego, Pathos, que quer dizer, no fim das contas, sofrimento. Por isso dizemos que “amar é estar doente dos olhos”. Digamos que é o amor baseado nas glândulas.



PHILIA
É o amor de amizade, sentimento de achegamento por se ter algo em comum. Capacidade de manter uma relação recíproca. Amigos, irmãos. É o amor baseado nas emoções.



ÁGAPE
Termo amplamente usado pela cristandade, representa o amor de caridade. É o amor que dá sem precisar receber. No ágape não se ama por que se é alegre, se é alegre por que se ama.É o amor, ao contrário do Eros, que sobra, que transborda. É um amor desinteressado. É o amor baseado na fé.


Nenhum comentário:

Postar um comentário